Como escolher o tipo de meditação mais adequado para você

Atualizado: 9 de jan.

Tipo de meditação?? Como assim, tem mais de uma forma de praticar isso ai?


Pois é, o exercício meditativo consiste em um conjunto de técnicas de gestão do foco e do estresse que permitem a restauração dos corpos físico, mental e espiritual através de um estado de transe induzido.


Tendeu nada, né? Vou explicar melhor, tenha um pouquinho de paciência 🙏


Pra começo de conversa: você não é a sua mente, você tem uma mente. Dessa maneira, é possível existir apesar do seu fluxo mental e, assim, tem-se o poder de controlá-lo. Para isso, realizam-se técnicas de relaxamento e organização da mente que permite que o estado de ativação cerebral relaxe um pouco e os seus corpos físico, mental e espiritual respondam ao relaxamento do estado de alerta convencional.


Genericamente: encontra-se uma posição confortável com a coluna ereta, pode ser sentado(a) ou deitado(a), concentra-se no fluxo respiratório e fecham-se os olhos e inicia-se a técnica escolhida. O objetivo genérico das práticas meditativas é a paz interior... Meio abstrato, mas é isso ai, cada uma das técnicas tem uma forma particular de promover esse encontro consigo mesmo(a) no momento presente pra alcançar a tão almejada PAZ INTERIOR.


A meditação é uma prática que proporciona importante alteração da química cerebral, e, portanto, tem contraindicações: pacientes diagnosticados ou sob suspeita de esquizofrenia ou de epilepsia não devem meditar, bem como pacientes com transtornos depressivos maiores sem acompanhamento psiquiátrico e psicológico.


Vou apresentar algumas técnicas pra que você possa selecionar entre elas qual lhe cabe melhor nesse momento:

  • Zazen - é uma técnica meditativa do silêncio, em que você utiliza apenas a respiração como âncora e permanece pelo tempo que determinar, comece devagar e vá expandido o tempo de permanência para sentir melhor os efeitos benéficos dessa prática. Não indica-se começar por aqui, ficar em silêncio consigo mesmo(a) pode ser assustador até fazer as pazes com todos esses pensamentos que você tem evitado... Não tem contraindicações adicionais.

  • Atenção plena ou Mindfullness - é uma técnica que consiste em perceber as sensações físicas e mentais no momento, permite a atenção a cada parte da pele, das emoções, do foco, da respiração, do batimento cardíaco no momento presente, é "ser e estar aqui e agora". Também utiliza a respiração como âncora, com um leve direcionamento da percepção sutil. Pode ser um começo interessante, mas demanda um certo controle sobre o foco e o poder de desapegar do fluxo constante de pensamentos que podem vir a dar as caras... Não tem contraindicações adicionais, nem tempo mínimo.

  • Ho'oponopono - é uma técnica havaiana, elaborada pelo terapeuta Ihaleakala Hew Len, em que são determinadas palavras-chave para a repetição mental ou verbal em busca de equilíbrio e perdão. A combinação de palavras tradicional é: sinto muito, me perdoe, eu te amo, eu sou grato(a); mas também há outra versão bastante popular: entrego, aceito, confio, agradeço. Pode-se começar com poucas repetições e ir experimentando as sensações de relaxamento e paz progressivamente, é um tipo de meditação com mantra. É um ótimo começo para iniciantes, começar a praticar com um espelho olhando nos próprios olhos, ir fechando os olhos ou utilizando uma vela como foco inicial, pode-se iniciar com a entoação verbal e então passar a não-verbal ou mental. Não tem contraindicações adicionais.

  • Meditação ativa - é uma meditação dinâmica em que são realizados movimentos automático ou intuitivos no sentido de liberar a energia estagnada e permitir a maior conexão com o seu Eu essencial, pode-se realizar esse tipo de meditação andando ou dançando. Assim como o Mindfullness, é uma prática bastante simples, mas que demanda um pequeno controle do fluxo mental. Está contraindicada em pessoas com mobilidade reduzida e com instabilidade postural.

  • Meditação guiada - o nome correto dessa modalidade seria exercício de imaginação guiada, que é por onde a maior parte dos praticantes começa. Existem várias subformas nessa classificação, mesmo as modalidades já apresentadas, mas vou me ater principalmente às meditações com produção de imagens, em que o praticante é levado a imaginar uma floresta ou um rio, ou imaginar que está voando, ou mergulhando... Com essas meditações há uma contraindicação adicional bem importante: todo praticante que faz uso de medicamentos psicoativos (antidepressivos, ansiolíticos, antipsicóticos) não deve realizar esse tipo de prática, pois há estímulo positivo ou negativo sobre a mesma região cerebral em que age esse tipo de medicação, de modo que pode haver a diminuição ou o aumento do efeito esperado da medicação e descontrole do quadro clínico, da condição do praticante.

Agora sim, agora você entende um pouquinho melhor esse universo e pode buscar a experiência que quer para si com mais propriedade! 🙇‍♀️


Meditar é uma experiência que demanda tato, respeito e carinho consigo, é um momento de conexão íntima e que deve promover o maior conforto possível, procure um consultor ou mentor adequado para guiar o seu início, estude e leia bastante sobre o processo, se permita buscar seus limites de modo que a experiência alcance sempre o maior benefício possível. 🧘🏻




2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo